Geração Distribuída deve triplicar em 2020 com acréscimo de 3,4 GW de potência

qua, 12 de fevereiro de 2020 às 09:56

Segundo ABSOLAR, o setor pode gerar 120 mil novos empregos este ano

A energia solar no Brasil deve apresentar um crescimento exponencial em 2020. Segundo projeções da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), somente a geração distribuída a partir da fonte corresponderá a cerca de R$ 16,4 bilhões de investimentos e um acréscimo de 3,4 gigawatts (GW) de potência este ano, um aumento de 170% frente ao total acumulado até 2019, com 2 GW.  

 Ao incluir a geração solar centralizada, o setor deve acrescentar uma potência de aproximadamente 4GW no País, gerando cerca de R$ 20 bilhões de novos investimentos no setor. Os dados foram apresentados pela entidade durante o evento “REN 482: o que vem por aí”, que discutiu o futuro da geração solar distribuída (GD) no Brasil, dia 6 de fevereiro, em São Paulo. 

Segundo a ABSOLAR, o resultado do setor vai contabilizar mais de 120 mil novos empregos este ano, um média de 332 postos de trabalho criados por dia. No caso específico da geração centralizada (composta por projetos de usinas de grande porte), o segmento adicionará 0,6 GW, gerando R$ 3,3 bilhões de novos investimentos. No total acumulado, a GC deve somar 3,1 GW de potência acumulada. 

Rodrigo Sauaia, CEO da ABSOLAR, aponta, no entanto, que carro-chefe para o crescimento do setor solar nesse ano será a geração distribuída. “A perspectiva de curto prazo para o setor é animadora. Devemos aproveitar a potência gigantesca do nosso mercado neste ano”, disse.

Sauaia acrescentou ainda que a fonte será responsável pela arrecadação de mais de R$ 5 bilhões em impostos e tributos neste ano, já descontadas perdas com energia elétrica. “Somos uma alavanca de novos recursos ao poder público”, afirmou.

Até 2016, o mercado solar avançava pela geração distribuída em especial. “Apesar de ocorrerem os primeiros leilões em 2013, esses projetos só começaram a entrar em operação em 2017. Assim, de 2012 até 2016, o mercado solar fotovoltaico brasileiro avançava pela GD. Entre 2017 e 2019, começaram a entrar os grandes projetos das usinas centralizadas, que também se destacaram nos investimentos nos empregos e no crescimento do nosso setor”, explicou o CEO da ABSOLAR.

Em 2020, o mercado de energia solar deve atingir uma potência acumulada de 8,5 GW entre geração distribuída e geração centralizada, com 250 mil empregos. “Os números do nosso setor são impressionantes.

Fonte: Portal Solar

Galeria de Fotos: