Como Poços Artesianos movidos a energia solar estão ajudando os produtores rurais

Potência gerada pode bombear, em média, 1.700 litros de água por hora, três vezes mais do que um poço a cata-vento


Poços artesianos movidos por energia solar estão ajudando os produtores rurais no Sertão de Pernambuco a vencer a seca. O sistema de energia solar instalado nos poços bombeia a água sem gastos com conta de luz. Além de ajudar na plantação, também ajuda na pastagem dos animais.


A iniciativa é da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba, que pretende instalar 1.040 poços como este até Junho de 2021. As placas são responsáveis por transformar a luz do sol em energia elétrica. A potência gerada pode bombear, em média, 1.700 litros de água por hora, três vezes mais do que um poço a cata-vento. 





Apesar de 2020 não ter sido um dos piores anos de secas, inclusive muitas áreas do Nordeste saíram do desse mapa, em Setembro, o governo de Pernambuco decretou situação de emergência em 55 municípios por causa da estiagem. Até então, para ter acesso a água, a alternativa era buscá-la em baixo da terra por meio de um poço movido a cata-vento. No entanto, essa opção depende de vento, e nesse caso, impossibilita o seu uso constante. Também há a possibilidade da utilização de poços com bombas elétricas, mas muitos agricultores não podem arcar com as despesas.


Aurivalter Cordeiro, superintendente regional da Codevasf, explica que o sistema de energia solar instalado nos poços traz grandes benefícios. “Sobretudo por poder contar com um sistema onde será maior a produtividade, segundo também a economia, porque eles não vão pagar energia para a utilização dessas bombas”, conta.


A energia solar fotovoltaica também pode levar água de reservatórios, represas, rios e lagos para o uso pessoal. Segundo o Relatório Luz 2019, que analisou os objetivos de desenvolvimento sustentável, 34 milhões de pessoas não possuem acesso à água tratada e quase 600 mil domicílios ainda não dispõem de acesso à energia elétrica. 


Para suprir essa necessidade, as bombas movidas à energia solar ─ de superfície ou submersas ─ para pequenas vazões são ideais para o uso domiciliar. A vantagem é possibilitar o acesso à água sem precisar de rede elétrica, bateria nem gerador e ter custo zero de energia ou combustível. “A instalação também é fácil e rápida, é um sistema de baixa manutenção e alta confiabilidade, movido por energia limpa, renovável, inesgotável e silenciosa, e tem um bom custo benefício, baixo investimento inicial e menor tempo de retorno desse investimento”, destaca Raphael Pintão, sócio-diretor da NeoSolar.


Na prática, o sistema para o funcionamento do sistema é feito a ligação dos painéis até a bomba, que então é posicionada no poço ou reservatório. “O painel solar fotovoltaico concentra toda energia captada através do sol e alimenta a bomba, que começa a trabalhar e bombear a água até o ponto de entrega”, explica o sócio-diretor da NeoSolar. 


Para a instalação do sistema em casa é preciso ter uma fonte de água que permita captação e um espaço para instalação dos painéis solares. O sistema ideal varia de acordo com informações sobre vazão diária que se deseja, qual o local de captação, qual a distância e desnível entre o ponto de captação e o ponto de entrega. “Dependendo desses parâmetros, o custo de um sistema para bombear água a partir da energia solar é de aproximadamente R$ 1 mil”, comenta.


Fonte: https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/energia-renovavel/pocos-artesianos-com-energia-solar-levam-agua-ao-sertao-de-pernambuco.html?utm_campaign=cd_newsletter_-_16102020&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

3 visualizações

R. Anita Garibaldi, 727 - Anita Garibaldi, Joinville - 89203-300

Santa Catarina, Brasil

© 2020 por Disole Energia. Todos os direitos reservados

  • Whatsapp
  • Facebook ícone social
  • Instagram