VOCÊ JÁ VIU UM BARCO QUE PRESERVA O MEIO AMBIENTE?

Projeto foi idealizado por um jovem holandês e deve iniciar o processo na Malásia e nos esgotos na Indonésia


O jovem holandês Boyan Slat não para de ter ideias. A mais recente foi a construção de um barco movido a energia solar capaz de limpar rios, com capacidade para coletar 110 toneladas de lixo por dia. A ideia é captar esse lixo e levá-lo até terra firme, onde serão separados e reciclados.  O projeto começa a ser desenvolvido no rio Kelang, na Malásia, e nos esgotos de Cengkareng, em Jakarta, na Indonésia. 


“Gostaria que meu projeto fosse replicado em larga escala até 2025, para atingir os rios mais poluídos”, afirma Slat, acrescentando que é muito grato pela equipe e que ainda há muito o que se fazer. 


O projeto tem apoio de mais de 100 pesquisadores e ambientalistas. É desenvolvido na costa do Haiti e da Califórnia, onde existe uma grande concentração de plástico, com estimativa de 1 trilhão de detritos. “Ainda temos muitos desafios técnicos, mas estamos juntos tentando resolvê-los”, comenta Slat.


Este não é a primeira vez que o jovem holandês Boyan Slat realiza tal projeto. Cinco anos antes de idealizar este barco, ele já havia criado um dispositivo de limpeza para remover 80 mil toneladas de plástico do Oceano Pacífico por ano. Batizada de “Limpeza Oceânica”, a embarcação opera com uma barreira, usando as correntes oceânicas para interromper os resíduos encontrados no mar.


O Brasil já conta com barcos movidos a energia solar. Porém um deles tem por objetivo o turismo. Fica em Bonito, no Mato Grosso do Sul, e segue regras rígidas de preservação da natureza. Batizado de Biguá, uma das aves aquáticas mais avistadas na zona rural do município, concilia tecnologia sustentável e é sustentável. Seu modelo é o Safari 7.0 M, equipado com duas placas solares adaptadas para tocar o motor elétrico, e capacidade para 15 pessoas sentadas.


“O barco vai ao encontro com o que desejamos oferecer: a experiência de integração na natureza com equipamentos modernos, seguros e confortáveis para nossos visitantes”, afirmou Thyago Sabino, gerente da Estância Mimosa, distante 25,3 km em relação ao centro de Bonito.


A aquisição do barco foi uma importante inovação, especialmente em um estado que tem o turismo de natureza como carro-chefe.  O passeio percorre um trecho de 500 metros pelo Rio Mimoso, passando por paisagens com cachoeiras, mirantes e morros. E para isso, o barco é alimentado pela energia solar, sempre presente no céu sul-mato-grossense.


Mas um dos primeiros barcos brasileiros movidos a energia solar foi testado na Amazônia em 2008, quando uma pequena embarcação para quatro pessoas circulava nas águas do Rio Amazonas, para passeios ecológicos de hóspedes de um hotel da região.


Para seu funcionamento, dois painéis solares geraram 150 watts cada um, com 21 volts de corrente. Esses painéis alimentaram as baterias e o gerenciador de energia dos motores.


A energia solar também abasteceu uma bateria reserva para navegar à noite ou em tempo nublado ou chuvoso. O barco foi equipado com um pequeno motor convencional movido a álcool e leva alguns litros do combustível para o caso de falha no sistema elétrico, na época, em fase de testes.

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/energia-renovavel/barco-movido-a-energia-solar-pretende-coletar-110-toneladas-de-lixo-por-dia.html

0 visualização

R. Anita Garibaldi, 727 - Anita Garibaldi, Joinville - 89203-300

Santa Catarina, Brasil

© 2020 por Disole Energia. Todos os direitos reservados

  • Whatsapp
  • Facebook ícone social
  • Instagram